domingo, 28 de abril de 2013

Eu jamais poderia te odiar

É engraçado como você costumava me pedir tanto para ser sincera com você, e agora é você quem não está sendo sincero comigo. Não é preciso fingir ou dar desculpas; não comigo (eu costumava ser aquela com quem você se abria e dividia coisas que não dizia a mais ninguém; não sou mais?). Eu sei de toda a verdade (eu sempre sei), e quer saber? Está tudo bem! Eu entendo, eu aceito, não fico magoada.
 
Eu gosto tanto de você, e tão verdadeiramente, que eu jamais poderia te odiar. Você jamais poderia me machucar. A única maneira de você me machucar seria eu deixar, seria eu esperar alguma coisa de você, e eu nunca esperei, e não espero. Nesta vida, eu aprendi a nunca esperar nada de ninguém; então, quando as pessoas não fazem nada por mim, eu não me decepciono, e quando elas fazem, eu fico positivamente surpreendida. Sei que eu sôo como uma pessoa fria, e sim, eu faço isso para me proteger, mas com você eu descobri uma nova e melhor justificativa para ser assim. Muitas vezes nos recusamos a criar expectativas por medo de nos decepcionarmos mais à frente, mas depois de amar você eu aprendi que essa atitude deve ter muito mais a ver com a pessoa amada do que com quem ama: esperar coisas dos outros é egoísta. Que ama, aceita e entende, e não usa o ser amado como fonte de expectativas e retribuições.

Todas aquelas coisas que eu te disse sobre eu não ser tão fraca e sensível como eu deveria ser, eu disse tudo aquilo por uma razão. Você não precisa evitar dizer coisas a mim por medo de machucar meus sentimentos. Uma vez eu te disse que na vida eu aprendi mais pelo amor do que pela dor, e isso é verdade, mas isso não significa que eu vivo em um mundo de arco-íris e unicórnios... Eu posso não ter vivido muitas coisas trágicas em minha vida, mas eu vi e ouvi muita coisa, então basicamente eu estou acostumada a ouvir palavras duras (sejam elas destinadas a mim ou não) e ver coisas feias, mas tudo isso não me afeta tanto quanto deveria porque eu não permito. Eu sou assim: as pessoas só me ferem quando eu permito. 

Então, seja o que for que você tem para me dizer, por favor não reprima. Eu aguento. Além disso, acredite em mim quando eu digo que nada que você possa fazer ou falar pode fazer com que eu te ame menos. Meu sentimento por você cresceu a tal ponto que eu jamais poderia odiar você, mesmo se fizesse algo que eu odeio. Eu sei separar a atitude da pessoa. Eu te amo sinceramente, e incondicionalmente. 

É claro que eu quero que você goste de mim, mas ora, eu não posso agir como nada menos do que eu realmente sou. Minha verdadeira personalidade é tudo que tenho a oferecer, e se isso te faz pensar coisas ruins a meu respeito, que seja! Você pode e deve dizer o que você quiser porque suas opiniões são uma parte de você e eu quero tudo de você, eu amo tudo em você, mas que isso inclua qualquer coisa que não me agrade... Seu caso é diferente: você jamais poderia me machucar porque eu te amo o suficiente para entender qualquer coisa que venha de você. Só, por favor, nunca me prive da verdade.

Um comentário:

Marcelo Adamus disse...

Ana,
voltei depois de um tempo afastado. Sinto em saber dos seus desencontros. O desafio de amar começa com o amor não correspondido. A maturidade consiste em amar sem apego e esperar que, se os laços entre duas pessoas for forte o bastante, elas se escolham para o maior aprendizado da vida.
Um abraço,
Marcelo.