quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Sonhos são apenas um plus... O grande barato é mesmo viver

A vida já é suficientemente boa pelo fato de termos apenas o necessário para vivermos bem. Quando temos a oportunidade de realizar um grande sonho, aí sim é que percebemos o quanto nossa vida é absurdamente boa.

Há pessoas que só vêem sentido na vida quando conseguem grandes façanhas, pessoas que precisam de grandes realizações para sentirem-se vivas e felizes - todo o restante do tempo mal é considerado "viver", mas apenas "sobreviver". Não é o meu caso.

Eu sou feliz com as coisas mínimas. E não é porque eu me contento com pouco, mas simplesmente porque não acho que o que eu tenho seja pouco. Eu tenho saúde, família, amigos, um grande amor, trabalho, estudo, um lugar para morar, alimento, imaginação, e de vez em quando até algumas horinhas por dia para assistir um programa de TV e/ou acessar a Internet. É mais do que suficiente para ser feliz, não?

Estou ciente de que só consigo ser feliz com a rotina porque minha rotina é boa. Certamente não é possível ser feliz quando não se tem nem o básico para viver. Mas eu tenho: eu tenho o básico e muito mais. Por que então ficar procurando insatisfação onde não há? Minha vida é boa como é, e a cada dia que passa fica melhor, porque das próprias coisas que fazem parte dela, vou guardando o necessário para construir meu futuro; que provavelmente também não será magnífico, mas será bom, e isso é ótimo!

Sempre tive alguns sonhos, alguns planos, coisas mais difíceis de serem conseguidas, mas nada que me causasse frustração caso eu não conseguisse alcançar. 

Como eu disse, só a realidade já é suficiente para me contentar. Agora, então, que estou tendo a oportunidade de realizar um sonho antigo, sinto-me mais afortunada que nunca. Já sou bastante grata por ter uma vida comum... Poder extravasar essa linha que existe entre o mínimo necessário para o bem estar, e as fantasias possíveis porém distantes da realidade, é motivo mais do que digno para sentir que minha vida é maravilhosa. 

Ser feliz é menos complicado quando se tem uma idéia menos utópica de felicidade. Uma vida inteira não pode ser justificada por algumas horas ou dias de êxtase e intensidade; a felicidade de uma vida inteira consiste, justamente, em apreciar as delícias do dia a dia. Assim, quando os momentos raros de alegria intensa vierem, aquela felicidade que sempre existiu dentro de nós vai somente ser maximizada - e assim, não haverá um único momento na vida em que não nos sentiremos felizes. E quem é que não quer ser sempre feliz?

Creio que a receita aplicativa a qualquer ser humano seria algo como o nome daquela música da banda King Crimson: "Ser feliz com aquilo que se tem para ser feliz". 

Obrigada, Senhor, pela fantástica vida que eu tenho. Obrigada, também, pela oportunidade de realizar um grande sonho. 

"O prazer pode apoiar-se sobre a ilusão, mas a felicidade repousa sobre a realidade."

(Roch-Chamfort)



E obrigada, Senhor, por entender esta lição!

2 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Belo texto!
Caríssima, venha participar do nosso novo teste cinematográfico. Katharine Hepburn é o tema.

O Falcão Maltês

Renata Fonseca disse...

"A vida já é suficientemente boa pelo fato de termos apenas o necessário para vivermos bem."
Essa é a definição de viver.
Me encantei pelos seus textos e seu jeito de escrever =)