quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Café com aroma de mulher

Há um certo preconceito contra novelas mexicanas e latinas em geral (que todos taxam de mexicana mesmo não sendo, pois dizem que "é tudo a mesma coisa"). Quando a colombiana "Café com aroma de mulher" foi exibida pela primeira vez no Brasil, virou motivo de chacota por causa do nome - admito, é meio esdrúxulo, até eu torci o nariz. Não bastasse isto, a protagonista se chamava Gaivota, outra razão para fazer piada da novela.

Na primeira reprise decidi assistir a novela para ver do que se tratava, e me apaixonei! Embora eu não consiga ser imparcial para defender as novelas latinoamericanas, esta tem um mérito a mais. A novela é de 1994, baseada num manuscrito de Fernando Gaitán. A trama é muitíssimo bem elaborada, os diálogos são bons, os protagonistas fogem totalmente do convencional, a história de amor deles é tocante e há outros personagens muito bem construídos.

O que mais me encanta é o seguinte: o romance de Sebastião e Gaivota não é o único atrativo da novela, ela tem diversas histórias paralelas e todas inteligentemente desenvolvidas e atraentes em sua particularidade; todavia, tudo gira em torno da história dos dois!! É uma colcha de retalhos costurada com perfeição, onde tudo leva ao tema central.

A personagem Gaivota sofre várias transformações ao longo da novela. É uma heroína de novela totalmente atípica, que não leva desaforo para casa, que não permita que ninguém a rebaixe, que afoga as mágoas na bebida, que luta pelo que quer, que passa de mera colhedeira de café a importante mulher de negócios em uma grande empresa cafeeira.

Já o seu par, Sebastião Vallejo, é um homem rico com um enorme vazio por dentro, que possui um grande problema de ordem psicológica. Este é outro ponto que me encanta: a forma como o problema de Sebastião é tratado, este lado que trata de psicologia, sentimentos e comportamento humano. A novela não é fútil, não trata de um amor que é amor só por ser. Próximo ao fim da novela, entra uma personagem chamada Daniela, uma psicóloga que ajuda Sebastião a superar Gaivota. Embora muitos vejam Daniela como uma antagonista, eu a acho uma das mais formidáveis personagens. Suas cenas dialogando com Sebastião são de uma riqueza sem descrição.

Enfim, provavelmente eu não convença com palavras, mas de fato é uma novela diferente, uma história muito boa. As produções mexicanas, colombianas e venezuelanas fizeram muito sucesso no Brasil nos anos 90 (hoje em dia nem são mais exibidas), mas ganharam tantos avessos quanto fãs. Realmente nem todo mundo tem estômago para engolir dramalhão, romances intensos, mocinhas choronas e vilões que criam planos mirabolantes. Bom, eu gosto e me divirto, hehehe... Mas, não obstante tenha sido filmada na Colômbia e possua alguns destes elementos, "Café com aroma de mulher" é diferente, podem acreditar.    

2 comentários:

Anônimo disse...

Vc tem toda razao cafe com aroma de mulher é uma otima novela..considero a melhor do mundo..

Anônimo disse...

Parabéns, ótimo texto! Tive a mesma reação que você ao ver a novela, inclusive com o fato das tramas secundárias serem totalmente interligadas com a principal (sem dúvida, um dos maiores méritos da novela, pois mostra que essas partes complementares podem ser realmente úteis para a história principal ao invés de serem apenas um mero artifício para encher linguiça).

Continue com o ótimo trabalho! ;)

Abs